Atendimento Médico Pré-Hospitalar

Como o atendimento médico pré-hospitalar pode salvar vidas?

Já se falava em atendimento médico pré-hospitalar no século XVIII, quando o Barão Dominick Joan Larrey, cirurgião-chefe militar de Napoleão, utilizava o campo de batalha para realizar atendimentos aos soldados feridos da guerra.

No Brasil, essa prática só foi registrada em 1893, quando o Senado da República aprovou uma lei que estabelecia o socorro médico de emergência em vias públicas da cidade do Rio de Janeiro (RJ).

Mas o que é APH? É o atendimento feito por uma equipe médica – na maioria das vezes composta por um médico, um socorrista e um enfermeiro – a pessoas em situações de urgências e emergências, sendo realizado antes da chegada do paciente ao hospital.

Pode parecer uma definição simplificada, afinal, no dia a dia esses profissionais lutam contra o tempo para salvar vidas e aliviar a dor.

O dia a dia no atendimento médico pré-hospitalar

O Atendimento Pré-Hospitalar 24 horas da Medilar Gestão em Saúde conta com médicos, socorristas, técnicos de enfermagem e enfermeiros, que atuam em ambulâncias conhecidas como USA (Unidade de Suporte Avançado) e USB (Unidade de Suporte Básico) – saiba mais sobre esses dois tipos de ambulâncias clicando aqui.

Em casos de emergências médicas, por exemplo, o solicitante ou o próprio paciente podem ligar para o 0800 e falar com um médico de plantão. Caracterizada a emergência médica, uma USA é imediatamente liberada e encaminhada para o local onde se encontra o paciente.  Quando nossos profissionais chegam ao local da ocorrência o objetivo é estabilizar o paciente para que ele possa ser removido com segurança para um hospital. Para isso eles seguem uma abordagem inicial de procedimentos chamada C-A-B, que incluem:

C (Circulação)   – Consiste em compressões torácicas contínuas, com ritmo de pelo menos 100 compressões por minuto para manter a circulação.  Devem ser aplicadas pelo reanimador colocando a palma da mão sobre o esterno, na linha dos mamilos, e sobrepor a outra mão, fazendo as compressões, afundando 5 cm de profundidade a cada compressão.

A (Via Aérea)    – Avaliar processo de ventilação; verificar se há algum corpo estranho nas vias aéreas e manter a cabeça com o queixo elevado.

B  – (Respiração) – Avaliar o padrão respiratório.

Se essa abordagem da parada cardiorrespiratória for executada por alguma pessoa leiga, o foco deverá ser realizar as compressões torácicas, conforme recomendado, até que a equipe médica chegue ao local.

Conheça a importância do APH

O atendimento médico pré-hospitalar pode ser a diferença entre a vida e a morte de um indivíduo, ou entre uma sequela temporária e algo permanente. Ele é o responsável por frear a evolução dos danos em uma pessoa vítima de um acidente de carro, por exemplo. Daí toda a sua importância. 

O serviço de atendimento médico pré-hospitalar oferecido pela Medilar, em parceria com a Unimed do Brasil, opera 24 horas por dia, e chega ao destino de atendimento em minutos. O tempo médio de início do primeiro atendimento ao paciente é de 15 minutos, variando em função da cidade, horário e complexidade do trânsito urbano. 

Clique aqui e saiba mais sobre o SOS UNIMED/MEDILAR. 

1 comentário

  1. Muito bom o artigo, amei!!
    Pesquisando acerca do assunto encontrei um curso muito legal.

    Para verificar acessa o link, espero ter ajudado alguém neste atual cenário de pandemia.
    Curso online de APH 1.0 – Atendimento Pré-Hospitalar com certificado de 80 Horas e Carteirinha + 3 Bônus Exclusivo .

    https://bit.ly/atendimentopreHospitalar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: