Saúde

Intervenção Assistida por Animais (IAA), já ouviu falar?

Passar dias internado em um hospital não é uma tarefa fácil. Além de ser desconfortável para o paciente e seus familiares, é muitas vezes, solitário. Mas alguns hospitais pelo Brasil estão buscando alternativas de tratamentos mais humanizados, como as Intervenções Assistidas por Animais (IAA), capazes de fornecer ao paciente momentos de descontração e fazê-lo com que ele se sinta mais em casa.

A Intervenção Assistida por Animais na prática

O Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (HCRP) desenvolveu o projeto Cão Carinho, que teve início em junho do ano passado e busca levar um pouco mais de leveza e alegria a rotina dos pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HC.

A idealizadora desse projeto é a médica do HCRP Dra. Maria Auxiliadora Martins. A ideia surgiu quando ela estava fazendo o seu pós-doutorado nos Estados Unidos, entre 2017 e 2018, e teve a oportunidade de conhecer a atividade com animais desenvolvida na Mayo Clinic (Hospital de referência nos EUA), em Rochester.

Esse projeto é considerado uma Atividade Assistida por Animais (AAA), umas das modalidades da IAA. “Na Atividade Assistida por Animais não existe um objetivo específico de resultado. Nós utilizamos o cão em uma visita dentro de uma UTI, ou dentro de um hospital, com o propósito de melhorar a autoestima e diminuir a ansiedade do paciente e humanizar o local”, explica Dra. Maria.

O Golden Retriever Dante

A Dra. Clarissa di Primio, que atua na Medilar como Gerente Médica de Call Center, além de ser mãe da Pietra, de 2 anos, é também a mãe do Dante, um Golden Retriever de 3 anos, pioneiro no projeto Cão Carinho. A adestradora dele Ana Alice Vercesi, foi quem o indicou para a Dra. Maria Auxiliadora.

“Levei para o projeto tanto meus alunos e ex-alunos de adestramento que se encaixavam no perfil necessário. E o Dante foi o pioneiro nisso, pois ele é meu parceiro de apresentações de adestramento e sei que seus tutores prezam muito pelo seu bem-estar”, explica Ana.
O que não falta na mãe do Dante é orgulho pelo seu filho de quatro patas! “Eu como médica acho incrível ele poder ajudar a melhorar a saúde de um paciente.”

 

Ter um cachorro que nasceu com algum propósito, o de fazer o bem para outras pessoas, é maravilhoso.”
Dra. Clarissa Di Primio – Gerente Médica do Call Center da Medilar

 

Uma avaliação médica rigorosa

Uma das principais curiosidades entre as pessoas é: Como a saúde desses animais é monitorada?
Como o hospital é um ambiente em que o controle de infecções é muito rigoroso, esses bichinhos passam com frequência por uma bateria de exames.

“Além da avaliação constante do tutor (se o cão, por algum motivo, não estiver bem naquela semana, ele não realiza a visita), seguimos o protocolo básico recomendado pelo IBETAA (Instituto Brasileiro de Educação e Terapias Assistidas por Animais) que incluí: vacinas, hemograma, tratamento de verminose, escovação, entre outros. Por se tratar de um trabalho realizado com pacientes do CTI, o protocolo de segurança desse tipo de projeto exige que os cães envolvidos façam exames trimestrais de SWAB anal para que façamos um controle com cultura de vigilância para evitar transmissão de infecções através de cães eventualmente colonizados por bactérias multirresistentes. O cão também deve tomar banho um dia antes e após a visita ao CTI”, explica Ana.

Quais os benefícios que a visita desses animais traz para os pacientes?

Os benefícios que os animais de estimação trazem para a saúde do homem são inúmeros e já foram comprovados cientificamente por diversas universidades de renome.

“Existem trabalhos mostrando, por exemplo, a redução do cortisol (hormônio do estresse) na saliva de pacientes que recebem a visita”, conta Dra. Maria.

Ela ainda explica, que há outros estudos que mostram pacientes que saem mais rápido da ventilação mecânica, se empenham mais no tratamento e têm a autoestima aumentada após a visita.

 

“É uma terapia não farmacológica, mas que ajuda no tratamento dos pacientes”.

Dra. Maria Auxiliadora Martins – Idealizadora do Cão Carinho

 

Pet Amigo – Unimed Fortaleza

Nos últimos anos, diversos hospitais do Brasil vêm adotando a terapia assistida como uma forma de tratamento mais humanizada para seus pacientes. É o caso, por exemplo, da Unimed Fortaleza, que criou o Pet Amigo, em parceria com o Instituto Cão Vida Lui.Cães vacinados, higienizados e com atestados de veterinários, levam atenção e carinho aos diversos locais do hospital. São amimais treinados que interagem com os pacientes, estimulando o afeto e a socialização, e diminuindo o estresse no ambiente hospitalar.

Os cachorros são acompanhados por um condutor no momento em que estão dentro do hospital. O objetivo é promover atividades sociais e terapêuticas mediadas com o auxílio dos animais.

O projeto teve início em 12 de outubro de 2016, no Dia das Crianças, com o objetivo de comemorar essa data especial com os pacientes do Centro Pediátrico e com aqueles que estavam internados no Hospital Unimed.

Deu tão certo, que o Pet Amigo chegou e ficou!

Atualmente, ele acontece todas as terças-feiras no Hospital Unimed, em Fortaleza (CE).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: