Saúde

Aleitamento materno, a primeira “vacina” do seu bebê

Ei, mamãe, sabia que seu leite vale ouro?

Os momentos especiais que permeiam as vidas de mamães e bebês são inúmeros, mas, tem um específico que marca de maneira ainda mais especial, a amamentação. Além de ser um ato que contribui muito para a criação de um vínculo entre mãe e filho, o aleitamento materno exclusivo até os seis meses reduz em 13% a mortalidade da criança até os cinco anos. Mas, sabemos que apesar de ser um gesto de amor e carinho, existem inúmeros desafios a serem enfrentados pelas mães. Acredite, amamentar não é uma tarefa fácil.

Você pode até pensar que não, mas o leite materno tem tudo o que um bebê precisa: água, vitaminas, proteínas, gorduras, açúcares e até anticorpos. Por isso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) também alerta que o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade é muito importante para que o bebê se desenvolva e cresça saudável.

O leite materno é considerado a primeira “vacina” do bebê. Para se ter uma ideia, os médicos aconselham que as mamães amamentem seus bebês logo na primeira hora de seu nascimento, assim já conseguem garantir a proteção deles contra possíveis infecções.

Mas os benefícios do leite materno não param por aí. Nós convidamos a Gerente Médica do Call Center da Medilar, Dra. Clarissa diPrimio para compartilhar conosco quatro benefícios do aleitamento materno.

Quer saber quais são? Continue lendo esse artigo…

4 benefícios do aleitamento materno

1. Responsável por aumentar a imunidade do bebê, porque a mãe passa para o seu bebê as suas imunoglobulinas (anticorpos). Assim, essa criança desenvolverá menos infecções.

2. Fortalece ossos e músculos, o que facilita a deglutição e a respiração do bebê.

3. Aumenta o vínculo entre mãe e filho

4. É um alimento prático e econômico.

Conseguiu entender a importância da amamentação? E nunca se esqueça, bebês que são amamentados ficam menos doentes e recebem uma nutrição melhor.

3 maiores desafios que as mães enfrentam no aleitamento

Mas, nem tudo é um mar de rosas. Os desafios são grandes, mas podem ser superados! Mamães do mundo inteiro enfrentam algumas dificuldades na hora de amamentar seus filhos. Nós listamos as três principais e também algumas dicas bacanas que podem ajudar a superar esses momentos, confira:

1 – Dor – Sim, amamentar pode doer. E a dor pode ser ocasionada por vários motivos: mamas cheias de leite, bico do seio rachado, o jeito com que o bebê pega na mama, entre outras.

DICA: Tente identificar o que lhe está causando a dor. Faça pesquisas, e se possível busque aprender ao máximo sobre amamentação durante o pré-natal. E por que não bater um papo com o seu médico?

Existem soluções (experimentar diferentes posições de amamentação, usar cremes específicos para essa região), mas você precisa primeiro identificar a causa da dor.

2 – Críticas – Infelizmente, por falta de informação da população, diversas mães sofrem preconceitos na hora do aleitamento, principalmente, quando precisam amamentar o bebê em público. Muitas pessoas ainda não conseguem entender que o ato de alimentar uma criança é um gesto de amor e carinho, que o prevenirá de inúmeras doenças.

DICA: Se você se sentir desconfortável em amamentar em público, tente encontrar um lugar mais tranquilo, em que você e o seu bebê ficarão mais à vontade. Pense também em utilizar coberturas (xales, ponchos) e roupas que irão facilitar a amamentação.

E lembre-se, não se preocupe com as críticas, concentre-se nos inúmeros benefícios que o aleitamento materno oferecerá para o seu filho.

3 – Muito leite/pouco leite – A produção do leite materno está ligada diretamente à produção de certos hormônios da mulher, por isso, é muito comum acontecer de ocorrer um desequilíbrio hormonal, que poderá acarretar na muita/ pouca produção de leite.

DICA: A maioria dos casos se resolve sozinho, mas caso tenha dúvidas, não hesite em conversar com o seu médico para esclarecê-las.

Queridas mamães que estão lendo esse texto, não desistam! Os benefícios do aleitamento materno para o seu bebê são maiores do que os desafios. FORÇA!

DICA DE OURO: Beneficiários Unimed, que contrataram o Unimed Fone (Orientação Médica por Telefone), podem acionar esse produto para tirar diversas dúvidas sobre amamentação e cuidados básicos com o bebê, com um de nossos médicos 24h por dia, 365 dias por ano. É muito fácil e seguro, afinal, toda orientação é dada pelo telefone e não precisa de nenhum agendamento.

3 curiosidades sobre o aleitamento materno

1 – Em dias quentes é normal pensarmos em dar água para o bebê, mas se ele tiver menos de 6 meses de idade, só o leite é o suficiente, porque ele já possui água em sua composição. Não há necessidade de dar outros alimentos/bebidas para o seu filho!

2 – Sabia que o leite produzido pelas mamães nos primeiros dias após o parto é chamado de colostro? É uma substância amarelada e grossa, mas ideal para alimentar o recém-nascido, porque ele é muito nutritivo e, consequentemente, essencial para proteger esse bebê de doenças.

3 – Como já dito por aqui, a OMS indica que o aleitamento materno exclusivo seja feito até os seis meses de idade. Após isso, o bebê precisará de uma alimentação mais variada, mas a amamentação pode continuar até os dois anos de idade ou mais.

Banco de Leite Humano

Já citamos aqui que, amamentar é uma experiência única, mas é importante deixar esclarecido que nem toda mamãe consegue. Felizmente, existem os bancos de leite humano para ajudar essas mães, nesses casos.

Muita gente não sabe, mas o Brasil possui a maior e mais complexa rede de bancos de leite do mundo – essa informação foi reconhecida pela OMS. O que falta é informação! Muitas pessoas não sabem como é o processo de doação de leite, acham que é demorado e burocrático. Mas não é, o leite pode ser coletado na casa da doadora ou no próprio banco de leite.

E não se preocupem, pois os bancos de leite aqui do Brasil possuem um controle de qualidade bem rígido e seguem todas as normas estabelecidas pela Agência Nacional de Saúde (ANVISA).

Todo banco de leite humano está interligado a uma maternidade com UTI neonatal, assim, o leite coletado chega rapidamente para aqueles que precisam.

Então, se você é uma mulher saudável, não toma nenhuma medicação que interfere na amamentação e está produzindo mais leite do que o seu bebê precisa, você pode ser uma doadora. Como? É simples, primeiro você precisa encontrar o banco de leite humano mais próximo (você pode usar esse site para pesquisar ou ligue 136), depois é só fazer um cadastro rápido e sendo considerada apta, você poderá escolher fazer a coleta em casa ou lá no banco de leite.

Viu como é fácil? Além de ser um gesto de amor para com o próximo!

Agosto Dourado

Para que você possa entender o quão importante é o aleitamento materno, existe um mês inteiro dedicado a esta causa. Organizações do mundo inteiro preparam campanhas e ações em agosto para conscientizar a população sobre a importância da amamentação.

A ideia da campanha surgiu em um encontro em Nova York entre membros da Organização Mundial da Saúde e do Fundo das Nações Unidas. Eles estavam reunidos para discutir sobre um documento voltado para a importância da amamentação e desenvolver ações para conscientizar a população sobre esta causa.

Em um primeiro momento, as duas organizações acreditaram que um dia para celebrar o aleitamento materno seria o suficiente. Mas, após muitas discussões, ficou definido uma semana inteira (de 1 a 7 de agosto) para trabalharem o tema.

Mas, você deve estar se perguntando: Por que AGOSTO DOURADO?

A resposta para essa pergunta é muito simples, o leite materno é considerado um alimento padrão OURO, porque tem todos os nutrientes que um bebê precisa para crescer com muita saúde. Está vendo mamãe, o seu leite vale OURO!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: