Atendimento Médico Pré-Hospitalar

Descubra o que uma ambulância precisa ter para ser eficiente!

Todos, em algum momento da vida, já viram ou (na pior das hipóteses) precisaram de uma ambulância. Desde nossa infância, esse veículo faz parte do imaginário popular, justamente por ajudar a salvar vidas.

Mas, você sabia que nem todas elas são iguais? E mais, as ambulâncias podem servir para variadas finalidades.

Quer saber mais sobre o tema? Então continue com a gente, neste artigo vamos te explicar direitinho como uma ambulância funciona, e qual a sua importância.

Ambulância, o que é?

O termo “ambulância” vem da palavra latina “ambulare“, que significa “movimentar”. Até a segunda guerra mundial o vocábulo era também usado para designar os postos de socorro militares. Atualmente, associa-se o termo a um veículo (terrestre, aéreo ou hidroviário) devidamente adaptado para transportar enfermos. De forma geral, essa é a definição de “ambulância”. Porém, sempre é válido esclarecer que existem diversos tipos de ambulâncias e cada uma é responsável por realizar uma determinada atividade.

Tipos de ambulâncias

O que irá diferenciar os tipos de ambulâncias são: os equipamentos médicos, os tipos de medicamentos, a sua finalidade e o meio de transporte (aquático, aéreo ou terrestre). Confira:

Tipo A: Também conhecida como “Ambulância de Transporte”, trata-se de veículo utilizado apenas para realizar um transporte simples de enfermo que não apresenta risco de vida. Ela pode ser tripulada por apenas um motorista ou um motorista e um enfermeiro.

Obrigatoriamente, ela deve dispor dos seguintes itens:

  • Sinalizador ótico e acústico;
  • Maca com rodas;
  • Suporte para soro;
  • Oxigênio medicinal;
  • Equipamento de radiocomunicação em contato permanente com a central reguladora

Tipo B: Conhecido como “Veículo de Suporte Básico”, é destinado a realizar transporte pré-hospitalar de pacientes com risco de vida e inter-hospitalar (entre hospitais). É tripulado por um socorrista e um enfermeiro/técnico de enfermagem.

Abaixo a relação de alguns dos itens que são obrigatórios em uma ambulância Tipo B:

  • Sinalizador óptico e acústico;
  • Equipamento de radiocomunicação fixo e móvel;
  • Maca articulada e com rodas;
  • Suporte para soro;
  • Instalação de rede de oxigênio com cilindro;
  • Cilindro de oxigênio portátil;
  • Maleta de urgência;
  • Maleta de parto;
  • Maletas com medicações;

Tipo C: Veículo utilizado para realizar resgates. Alguns dos equipamentos mínimos incluem:

  • Sinalizador ótico e acústico;
  • Equipamento de rádio comunicação fixo e móvel;
  • Maca com rodas articulável;
  • Suporte para soro;
  • Prancha longa e curta;
  • Conjunto de colares cervicais.

Tipo D: Ambulância de Suporte Avançado. Veículo capaz de transportar um paciente com alto risco de emergência pré-hospitalar e realizar transporte inter-hospitalar. Ela deve ser tripulada por socorrista, enfermeiro e médico.

Abaixo alguns itens que ela deve dispor:

  • Sinalizador óptico e acústico;
  • Equipamento de radiocomunicação fixo e móvel;
  • Dois suportes de soro;
  • Cadeira de rodas dobrável;
  • Respirador mecânico de transporte;
  • Oxímetro não-invasivo portátil;
  • Monitor cardioversor;
  • Bomba de infusão;
  • Maleta de vias aéreas;
  • Caixa completa de pequena cirurgia;
  • Maleta de acesso venoso;

Além desses quatro tipos apresentados aqui, ainda existe a ambulância tipo E (aviões de asa móvel), tipo F (aviões de asa fixa) e a tipo G (hidroviário).

Como você deve ter percebido, a ambulância tipo D é bem completa em termos de medicamentos, equipe e equipamentos. A Medilar Gestão em Saúde, parceira da Unimed do Brasil, trabalha com dois tipos de veículos: os tipos B e D.

Ambulâncias SOS Unimed/Medilar

Extremamente moderna e com equipamentos médicos de última geração, as UTIs móveis da Medilar que atendem ao SOS Unimed, são da marca Mercedes Benz e possuem cerca de 400 itens essenciais ao salvamento de vidas.

Além de seguir regiamente à portaria reguladora 2.048/2002, todas as ambulâncias da Medilar possuem diferenciais, como:

☑ Teto alto;
☑ Ligação direta com a cabine, o que traz um grande impacto positivo para a operação dos times;
☑Rastreador, que dá total suporte e facilita a comunicação com o call center médico da Medilar. Além disso, esse aparelho fornece uma série de informações de telemetria, que são utilizadas como balizadores para realização de manutenção preventiva, abastecimento, além de diversas outras análises operacionais.

Cada detalhe é pensado para que os atendimentos sejam realizados com excelência 🙂

1 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: