A vida seria fácil se tivéssemos o controle de tudo que nela ocorre. Será mesmo?           

O problema é que mergulharíamos de cabeça em um completo paradoxo: o dia só tem 24 horas e não temos conhecimento de tudo, (incluindo aquilo que foge aos nossos olhos). A verdade é que por vezes, o nosso saber é bastante limitado.

Já imaginou se o Otávio Augusto, no século 27 a.C. decidisse administrar sozinho o Império Romano, que se encontrava em plena ascensão?

Haja esforço e tempo! Provavelmente, o governo dele teria sido bem curto.

O ponto é: impossível termos o controle de tudo. Principalmente, no mundo dos negócios.

E é aqui que a nossa conversa se inicia. E já começa com algumas perguntas:

A sua Unimed possui controle de qualidade do SOS?

De quanto em quanto tempo a renovação das ambulâncias desse serviço ocorre?

O SOS conta com o apoio de um Call Center Médico exclusivo para a regulação desse serviço?

Seus beneficiários estão satisfeitos com o serviço do SOS prestado pela sua cooperativa?

As equipes passam frequentemente por  educação continuada?

Os números de processos trabalhistas são baixos?

Bem, gerir todas as pontas de um negócio pode ser bem mais complexo e desgastante.

Em um universo corporativo incrivelmente acirrado, com cobranças, exigências e reclamações expostas diariamente na web, empresas dos mais diversificados segmentos se perguntam:

– Como sobreviver à concorrência – cada vez mais acirrada – e atender o beneficiário com uma experiência cada vez melhor?

Aí vai a resposta: Gestão Compartilhada.

É fato que antes de se decidir por uma compra, o consumidor moderno tem a internet como grande aliada, já que pode pesquisar sobre a qualidade, a aceitação e a satisfação de clientes que já fazem ou fizeram uso do mesmo produto ou serviço.

Podemos dizer com autoridade que mais do que em qualquer outro período da história recente da humanidade, a qualidade é algo indissociável à venda do que quer que seja.

Mas, aí reside o ponto central dessa questão:

– Como oferecer o melhor, sem ter todas as ferramentas, tempo para administrar, a especialização, o know-how, a estrutura e a expertise necessária?

É aí que entra a gestão compartilhada.

Ter ao lado um parceiro especialista, que se debruça no gerenciamento de áreas ou segmentos específicos de sua Unimed, pode fazer toda a diferença para que metas e objetivos sejam alcançados ao final do dia.

A construção de uma parceria estratégica tem como ponto focal, o aumento da receita e a redução de desperdícios de recursos, ou seja, visa ao alcance de uma condução bem-sucedida dos negócios.

Você deve estar se perguntando: – Na prática, como seria a aplicaçãoda gestão compartilhada dentro da Unimed?

Bom, vamos transpor essa questão para o cenário de uma operadora de saúde.

Imagine se a sua Singular oferece um serviço essencial, como o Atendimento Pré-Hospitalar Móvel (SOS Unimed), mas, as equipes médicas não têm todas as capacitações necessárias. Ou as suas ambulâncias não são equipadas com todos os itens essenciais para o salvamento de vidas ou ainda, são modelos mais antigos… pense nas reclamações e no desgaste na imagem de sua marca, que tudo isso pode suscitar?

Consegue visualizar esse cenário? Uma verdadeira exposição do calcanhar de Aquiles, não é mesmo?

Gestão Compartilhada SOS Unimed/Medilar

A Medilar desenvolveu um modelo de gestão compartilhada, que trabalha para aumentar a eficiência das Unimeds e, concomitantemente, seus resultados.

E isso é possível graças a três fatores:

1º Um amplo estudo e identificação de necessidades de cada Singular, customização.

2º Construção de um plano estratégico que visa à estruturação (ou reestruturação) do portfólio, com o posterior oferecimento de produtos e serviços reconhecidos e de excelência, como o SOS Unimed.

3º planejamento comercial que busca a conquista imediata de novos clientes.

TRANSFORMAR MEU SERVIÇO DE APH EM PRODUTO

3 principais problemas que a Gestão Compartilhada com a Medilar é capaz de solucionar no SOS  da sua Unimed:

1 – Altos gastos

Os primeiros efeitos sentidos pelas Singulares ao saírem do modelo de Recursos Próprios e irem para a Gestão Compartilhada do SOS estão relacionados ao corte imediato de custos. Aluguéis, contratações e distrato de profissionais, compra dos mais diversos itens, que vão desde equipamentos médicos a ambulâncias. Tudo isso (e muito mais) deixa de ser um gasto para a sua Unimed.  

Todos esses gastos são absorvidos pela Medilar, bem como toda a operacionalização do serviço em si.

2 –Números altos de processos trabalhistas

A não contratação de profissionais CLTs para trabalharem no SOS e a falta de oferecimento de benefícios aos colaboradores, podem acarretar em número grande de processos trabalhistas à sua cooperativa.

Esse é outro desafio que é absorvido pela Medilar, que conta com solidez jurídica e um time de mais de 1.700 colaboradores, capaz de lidar com questões burocráticas e administrativas sempre da forma mais adequada, retirando das Singulares essa preocupação.

3 – Baixa produtividade da equipe

Contar com o apoio de um Call Center Médico na operação do SOS, é como ter ao lado aquele profissional especial que nos ajuda com tudo que precisamos resolver. Torna a nossa vida mais eficiente e, ao final do dia, sobra tempo para aproveitar a vida.

Uma central de regulação médica estruturada, moderna e tecnológica, exclusiva para atender o sistema Unimed evita:

  • Deslocamentos desnecessários da equipe
  • Demora no atendimento
  • Lotação de PAs
  • Alto custo para atender transporte obrigatório RN 347

Temos um texto completo aqui, que explica em detalhes cada um desses pontos de atenção.

Esses três tópicos que levantamos  são apenas os principais, existem muitos outros que são resolvidos a partir do momento que a sua Unimed tomar a decisão de tirar o SOS do modelo de Recursos Próprios.

O grande segredo da gestão compartilhada desenvolvida pela Medilar está na oferta de seu know-how e na criação de planos estratégicos de ação comercial (captação e retenção de usuários), previamente customizados, visando às necessidades de cada Singular. A operação dos serviços fica a cargo da Medilar, que é a especialista, e a cooperativa supervisiona em conjunto às atividades.

Importantes Singulares do País já estão sob esse modelo junto com a Medilar há anos, e desde que iniciaram viram seus resultados saltarem de maneira agressiva. O SOS Unimed da Nordeste-RS é um grande case de sucesso. Por lá crescemos 8 vezes em apenas 2 anos. De 6 mil vidas em 2018, o serviço passou a atender 50 mil em 2020.

Além do aumento do número de vidas e da popularização do serviço, sabe o que mais eles ganharam?

Tempo.

Tempo para focar no que possuem expertise: comercialização de planos de saúde e a gestão de saúde de seus beneficiários.

Share this post

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: