Saúde

Câncer de mama: Um toque que pode mudar o final da sua história

A incidência do câncer de mama ultrapassou, pela primeira vez, a do câncer de pulmão, e se tornou o tipo mais comum da doença no mundo. 

Estudos indicam que a alta no número de casos de câncer de mama, está relacionada ao estilo de vida sedentário adotado pelas pessoas. Para se ter uma ideia, mais da metade dos brasileiros estão acima do peso. 

O câncer de mama representa 28% de todos os cânceres femininos no Brasil. Para 2021, são estimados estimadas 66.280 mil ocorrências em todo o país, o que corresponde a 43,74 casos a cada 100 mil mulheres. 

O que é câncer de mama?

O câncer de mama é o crescimento de células anormais na mama. Quanto mais cedo é descoberto maiores serão as chances de cura.

Depois do câncer de pele não melanoma, o câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres, no mundo e no Brasil. O câncer de mama responde, atualmente, por cerca de 28% dos casos novos de câncer em mulheres.

Quais os possíveis sintomas do câncer de mama?

Sabia que existem vários tipos de câncer de mama? O mais comum é o ductal, que surge nas células dos ductos que transportam o leite até o mamilo. O segundo tipo mais frequente de câncer de mama é o lobular, que surge nos lóbulos responsáveis pela produção do leite.

Definir o tipo de câncer é fundamental no planejamento do tratamento.

Como prevenir o câncer de mama?

Além de manter hábitos saudáveis (dieta pobre em alimentos gordurosos, atividade física regularmente e pouca ingestão de bebidas alcoólicas) existem exames preventivos de rotina que podem ser realizados para a detecção precoce da doença.

Mamografia

Os médicos recomendam a primeira mamografia entre 30 e 35 anos. Este exame é o único capaz de detectar uma lesão cerca de cinco anos antes dela se tornar palpável.

Autoexame da mama

O autoexame não substitui a mamografia, porém também ajuda na detecção precoce do câncer de mama. Ele é recomendado a partir dos 20 anos de idade.

Sua periodicidade deve ser mensal. O ideal é fazer a palpação das mamas entre o quarto e o sexto dia após o fim do fluxo menstrual.

Obs.: Mulheres que não menstruam devem fixar uma data para fazer a avaliação.

Como fazer o autoexame em casa?

1 – Posicione-se em frente ao espelho com os braços ao longo do corpo. Olhe para suas mamas e tente identificar algo de anormal em suas aparências.

2 – Repita o procedimento com os braços levantados.

3 – Com as mãos nos quadris, observe mais uma vez se há algo diferente com seus seios.

4 – Coloque as mãos atrás da cabeça e veja o tamanho, posição e forma do mamilo.

5 – Pressione levemente o mamilo e verifique se está saindo alguma secreção.

6 – Deitada e com a barriga para cima, coloque um travesseiro embaixo de seu ombro esquerdo. Com a mão direita, examine toda a mama esquerda.

7 – Com os dedos esticados em cima do seu seio, faça movimentos circulares, fazendo uma leve pressão.

8 – Durante o banho também é possível fazer o autoexame, apalpe suas mamas e axilas a fim de identificar caroços ou alterações.

Fatores de risco do câncer de mama

90% dos casos de câncer de mama não possuem relação com fatores genéticos. Somente 10% são decorrentes de fatores hereditários.

Fatores ambientais e comportamentais:

  • Obesidade e sobrepeso após a menopausa;
  • Sedentarismo;
  • Consumo excessivo de bebida alcoólica;
  • Exposição frequente à radiação.

Fatores genéticos e hereditários:

  • Histórico familiar de câncer de ovário;
  • Alteração genética nos genes BRCA1 e BRCA2;
  • Histórico familiar de câncer de mama em homens;
  • Vários casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos.

Fatores da história reprodutiva e hormonal:

  • Primeira menstruação antes dos 12 anos de idade;
  • Não ter tido filhos;
  • Primeira gravidez após os 30 anos;
  • Não ter amamentado;
  • Parar de menstruar após os 55 anos;
  • Uso de contraceptivos hormonais;
  • Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos.

Mitos e verdades sobre o câncer de mama

Esse tipo de tumor, apesar de comum, ainda causa inúmeras dúvidas nas pessoas. Confira abaixo alguns mitos e verdades sobre o câncer de mama:

Câncer de mama só aparece em quem possui histórico familiar?

Mito. A grande maioria das pacientes que possuem câncer de mama não têm histórico familiar. Apenas 10% dos casos têm origem hereditária.

Amamentar protege contra o câncer de mama?

Verdade. A amamentação reduz o número de ciclos menstruais e, consequentemente, diminui a exposição de certos hormônios femininos que podem estar por trás do surgimento de tumores, como por exemplo, o estrógeno.

Desodorante pode causar câncer de mama?

Mito. Não existe nenhum dado científico que comprove o elo do uso de desodorante e o câncer de mama. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) assegura também que não há nenhuma relação entre a substância que origina esse produto de higiene e o tumor.

Câncer de mama pode ter cura?

Verdade. Muitos fatores devem ser considerados porque cada paciente é única. O quanto antes o diagnóstico for feito maiores são as chances de cura.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: