Não é preciso pesquisar muito para se deparar com notícias que falam que o Brasil vive uma epidemia atípica de gripe.

Surtos de gripe são muito comuns sim, mas, no período do outono e do inverno, não no verão, como é o caso que estamos presenciando. Então, por que isso está acontecendo?

Especialistas acreditam que a flexibilização das medidas sociais contribuiu para a mutação do vírus da gripe e sua consequente disseminação. As pessoas passaram a interagir entre elas com mais frequência, sem o uso de máscara e da devida prática de higiene pessoal.

Além do surto de gripe, você deve ter escutado falar sobre a flurona, certo? E deve estar se perguntando: qual é a relação da gripe com o coronavírus e, agora, com a flurona?

Aqui no Call Center Médico da Medilar, temos recebido com frequência inúmeras dúvidas sobre a flurona. O nosso volume de chamadas cresceu de forma exponencial nos últimos dias, o que reflete uma grande preocupação por parte da população sobre a doença.

Mas, para que você possa entender direitinho o que é a flurona, vamos começar explicando sobre a epidemia de gripe.

A nova variante do vírus Influenza A

Além das novas variantes do Sars-CoV-2, rinovírus e adenovírus, há outro vírus circulando no País que tem tirando o sono de muitas pessoas, a Influenza.

O vírus influenza é distribuído em três grupos: A, B e C. Nesta conversa, vamos focar no tipo A.

Atualmente, a Influenzavírus A – responsável pela gripe comum e resfriados – possui dois subtipos: H1N1 e H3N2. E, é a nova mutação desta última, que tem infectado milhares de brasileiros.

Batizada de Darwin, porque foi encontrada pela primeira vez em uma cidade da Austrália de mesmo nome, os sintomas da nova variante do vírus H3N2 já são bem conhecidos.

Confira no vídeo:

Você pôde perceber que os sintomas do vírus H3N2, do subtipo Darwin, são muito parecidos com os do coronavírus, por isso,caso apresente um ou mais desses sintomas, mantenha o isolamento social e realize o teste, para que o diagnóstico correto seja feito.

E, assim como o vírus da covid-19, o H3N2 também é transmitido entre as pessoas por meio de gotículas liberadas no ar. Logo, os cuidados preventivos são os mesmos do coronavírus: usar máscara, distanciamento social e higienização das mãos.

E, o que é o Flurona?

É uma coinfecção pelo vírus da covid-19 e da influenza H3N2.

Nos últimos dias, o Brasil já registrou diversas duplas infecções pela variante Ômicron e o vírus Darwin.

Isso acontece, porque, no momento, estamos vivendo ao mesmo tempo uma epidemia do vírus influenza H3N2 e uma pandemia da covid-19. Logo, estamos mais expostos a ambos os vírus.

Saiba mais sobre o Flurona, no vídeo abaixo:

Estou com sintomas gripais, devo procurar atendimento médico de imediato?

É preciso ficar atento à evolução dos sintomas.

A recomendação dos especialistas é: ao apresentar sintomas leves, fique em casa, faça repouso, invista em uma boa alimentação e procure se manter hidratado.

Só busque ajuda médica, quando apresentar febre acima de 39°C ou falta de ar.

Aprenda a diferenciar os sintomas do covid-19 e da gripe:

A vacina da gripe protege contra o vírus H3N2?

O sistema público de saúde do Brasil disponibiliza para a população a vacina da gripe trivalente, que combate duas cepas do vírus Influenza A (H1N1 e H3N2) e uma da Influenza B.

Mas, devido às mutações sofridas pelo Influenzavírus H3N2 a vacina da gripe trivalente protege parcialmente.

Enquanto a vacina contra o vírus Darwin não está disponível para a população, é importante seguir com as mesmas medidas preventivas do coronavírus, para diminuir a possibilidade de contágio pela gripe.

Share this post

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: